Himiko, a guarda do trovão e o Yamatai em Tomb Raider. O maior debate da história antiga do Japão.

Tomb Raider foi um dos principais games de 2013, nele temos a lenda do Yamatai e da rainha do sol, Himiko, que teria sido a maior rainha da história do Japão. O jogo se pauta nas lendas remanescentes da época e de todo o mistério envolta do tema.

Terminado o game resolvi pesquisar mais sobre a parte histórica dessa rainha que me pareceu uma espécie de Nefertiti japonesa, afinal em um país sexista como o Japão, uma mulher no poder é algo que me chamou muito a atenção. Entretanto, realmente não se tem muitas informações sobre o período e o pouco que tem está em inglês, por isso resolvi partilhar a pesquisa aqui. Vamos lá!

– A RAINHA

o0279039913569622694
O retrato mais famoso de Himiko, feito por Yasuda Yukihiko no começo do século 20.

Himiko ou Pimiko (卑弥呼,) foi uma rainha xamanista do Japão antigo, na época chamado de Wa ou Yamato. Seu reinado é conhecido como Yamatai ou Yamatai-koku (邪馬台国) e faz parte do período Yayoi que aconteceu entre 300 AC até 300 DC. Segundo as lendas e estudos sobre como uma mulher chegou ao poder, tudo indica que a escolha por uma mulher está ligada a Guerra Civil de Wa, a primeira guerra que se tem conhecimento na história do Japão. A guerra teria acontecido no século 2 DC e durou de 70 a 80 anos, assim o povo cansou da destruição que os homens no poder traziam e resolveram que o poder e as regras deveriam ser tomadas por uma mulher.

O país outrora dominado por homens, por cerca de setenta ou oitenta anos só encontrou distúrbios e guerras. Por causa disso o povo concordou em colocar uma mulher no poder. Seu nome era Himiko. ( Tradução Livre)
—History of the Kingdom of Wei (Wei Zhi), Accounts of the Eastern Barbarians. Dykstra 2001, p. 7 –

Illustration copyright: Newton Graphic Science Magazine “Nihon no ruutsu”
A rainha Himiko com sua guarda real, a suposta guarda do trovão.

Com Himiko no poder a paz foi restaurada, seu legado foi um simbolo da união do povo na era Yayoi através do reinado do Yamatai.

– O REINADO

O Yamatai pode ter sido um dos maiores da sua época, chegando até em regiões da antiga China. Atualmente foram descobertas diversas notas e peças históricas que comprovam que varias províncias chinesas pagavam tributos para Himiko, garantindo a paz com o Yamatai. No total o Yamatai teria agregado cerca de trinta  “países” ou “cidades estados” (lembrando que o Japão,China e a Coréia ainda não era unificado).

Porém, Himiko só foi reconhecida como governante de todo Wa por cerca e 238 DC. Durante seu reinado, Himiko mandou emissários para Gi para limitar a influência de um crescente poder rival do “rei” de Kunu que ficava no país de Kuna que localizado ao sul de Wa (Japão).

Em 239 DC, o imperador do Gi concedia ao reino do Yamatai um honroso título “Sin Gi Wa O” junto com um presente, 100 espelhos de bronze. Por volta de 247 DC o reino do Yamatai e o do país de Kuna estavam em atrito constante, mas o resultado desse conflito não é conhecido pelos historiadores, só que Himiko teria buscado apoio do império chinês(Pelo que pude entender a China era dividia em quatro reinados) e teria morrido no ano seguinte.

Modelo dos quarteis generais do Yamatai, feito pelo Museu da cultura Yayoi da Prefeitura de Osaka.
Modelo dos quarteis generais do Yamatai, feito pelo Museu da cultura Yayoi da Prefeitura de Osaka.

– REGISTROS HISTÓRICOS

Hoje em dia muito já se foi descoberto sobre a época, incluindo documentos que citam a rainha do sol, porém até hoje os historiadores não conseguiram achar onde ficava o quartel general e a moradia da rainha, pois provavelmente no local estaria as evidencias para decifrar o mistério de Himiko.

Os primeiros artefatos e prova da existência do Yamatai, veio da China, vem de um importante livro para história da chinesa, datado por volta de 297 D.C chamado Records of the Three Kingdoms (Relato dos treinos reinos) de Sanguo Zhi (三國志). Apesar dos relatos focarem no antigo império chinês Cao Wei, ele também cita o Yamatai em diferentes passagens:

” O povo de Wa [倭人] reside no meio do oceano, nas ilhas montanhosas a sudoeste de Tai-fang. Outrora eles englobavam mais de cem comunidades. Hoje, trinta de suas comunidades mantem relações [com o Cao Wei] através de emissários e escribas.” (tr. Tsunoda 1951:08)(Tradução Livre)

a
O selo dourada diz que foi concedido ao titulo de Rei do Wa pelo imperador Guangwu de Han, selando assim a amizade entre os reinos.

Em uma das passagens o livro cita as viagens que foram feitas entre a corte de Wa e Wei. Os emissários de Himiko teriam visitado a antiga china para firmar a aliança entre os reinos e posteriormente foram visitados pela corte do imperador Cao Rui em 238 dc.

“Aqui recebemos Himiko, Rainha de Wa, agora oficialmente chamada de amiga de Wei. Seus emissários desembarcaram com seus tributos, consistindo em quatro escravos e seis escravas, junto com duas peças de roupas com diversos designs. 

Você que vive tão distante, através dos mares, ainda sim enviou seus emissários com tributo. Sua lealdade e piedade são apreciadas por todos nós. Sendo assim nos conferimos a você o titulo de Rainha de Wa e amiga de Wei, junto com o selo dourado com a faixa roxa. Uma carta sera enviada para senhora através do governador, nós esperamos você, ó rainha, que governe seu povo com empenho e paz, mantendo-o devoto e obediente”. (Tsunoda 1951:14) (Tradução Livre)

O livro termina de mencionar Himiko por volta do ano de 247, quando um novo governador chegou na comendadoria (uma espécie de feudo administrativo, criado na antiga China) de  Daifang na atual Coréia. A Rainha oficializou as reclamações de hostilidade junto a Himikuku  (ou Pimikuku 卑 弥 弓 呼) o Rei de Kanu (狗 奴). Assim governante enviou Chang Cheng, Secretário da Guarda das Fronteiras, com uma proclamação advertindo sobre seus atos e aconselhando a reconciliação e paz entre os reinos.

Anos depois Himiko viria a falecer e em sua homenagem as lendas falam que um monte de cerca de 76 metros fora erguido em sua homenagem.  Centenas dos homens e mulheres de sua guarda, serviçais e assistentes teriam ido com ela para o túmulo.

Após a sua morte, um rei foi colocado no poder para ser o sucessor da rainha, porém o povo se recusava a aceitar as novas ordens do soberano, causando novos conflitos e inúmeras mortes a toda região de Wa. Para trazer paz novamente ao reino a solução encontrada foi coroar uma parente de Himiko, uma garota de treze anos chamada Iyo [壹 与]. Assim a ordem foi restaurada e sua coroação foi proclamada por Cheng da China.

– ACHADOS ARQUEOLÓGICOS RECENTES 

Nara, região aonde pode ter sido descoberto o túmulo da Rainha Himiko.

Em fevereiro de 2013 a maior descoberta sobre a rainha pode ter sido feita em Nara na cidade de Sakurai no Japão. 16 pesquisadores de diferentes universidades foram autorizados pela Agência da Casa Imperial do Japão, para investigar os túmulos e tumbas descobertos na região, mas ainda sem o direito de escavação no local. Acredita-se que o túmulo da rainha pode estar no lugar e caso ele não esteja, ainda sim muita coisa importante do Yamatai e do período Yayoi podem ser descobertos. Acredita-se que o  primeiro túmulo de um rei do Tribunal Yamato , que mais tarde evoluiu para a Família Imperial esteja no local. Com base em documentos antigos como o Kojiki ( Registros de Assuntos Antigos ) e o Nihonshoki ( Crônicas do Japão).

Local que será estudado pelos arqueólogos.

– HIMIKO, O MAIOR DEBATE HISTÓRICO DO JAPÃO.

Os motivos que fazem de Himiko e o Yamatai serem obra de grande discussão pelos historiadores asiáticos são vários, mas dois são os principais. Um deles é o local, enquanto um grupo de pesquisidores trabalham em Nara como o lugar do Yamatai, outros apostam seus estudos na região de Kyushu.

Outros pesquisadores acreditam que o Yamatai ficava na atual Kyushu. Lá em Beppu fica o famoso lugar chamado de Inferno na Terra.

Como muito do Japão antigo já foi descoberto na província de Saga em Kyushu, os historiadores acreditam que lá era base do Yamatai e tem como principal argumento a ligação do local com o que hoje seria a Coreia. Além de ter uma saída rápida para China, com quem Himiko tinha uma grande aliança.

Já os que pensam que o local é Nara, usam o fato das antigas e recentes descobertas sobre o período Yayoi no local, além do sucesso em diversas batalhas que a rainha teria tido em Hoshu parte central do japão, de lá podendo partir para antiga China e Coreia pela outra costa, onde hoje existe o mar do Japão.

Outro tema que causa toda discussão é que na realidade Himiko nunca existiu e sim que ela seria a já conhecida e famosa imperatriz japonesa, Jingu, que teria vivido entre 192 e 200 DC.

Xilogravura da Imperatriz Jingū, pintada por Tsukioka Yoshitoshi (1880).

Um dos principais feitos de Jingu teria sido a invasão e conquista da Coreia, em uma campanha que durou 3 anos, porém até hoje não existe registros de sua dominação em solo Coreano, o que além de trazer a debate se isso realmente ocorreu como se a falta de evidencias ajudaria a reforçar a hipótese da rainha e imperatriz serem a mesma pessoa. Jingu ainda teria sido mãe do imperador Ojin.

A diferença de época das duas, caso as hipóteses da época que cada uma viveu estiverem certa, seria cerca de 60 anos.

A Imperatriz Jingū eseu ministro Takeuchi. Xilografia feita por Utagawa Kunisada.

– HIMIKO NA CULTURA POP

Bom, como eu disse no inicio o que me fez descobrir e me interessar pela história da Himiko foi justamente o novo jogo da série Tomb Raider que provavelmente a partir de agora deve ser a principal referência da rainha na cultura pop.

Ainda existem outras personagens no mundo dos mangás e animes com o nome de Himiko.

Btoom! é uma série que em breve deve ser lançada nas bancas do país pela editora JBC, um seinnen de Jun’ya Inoue. que possui 12 volumes e também tem sua versão em anime pela MadHouse.

A protagonista da série têm o nome em referência a rainha e aparentemente possui uma personalidade forte.

Get Backers é outra obra que tem uma personagem com o mesmo nome, porém não consegui achar alguma informação que diga que o nome dela faz referência a rainha. O anime foi exibido no Brasil pela Animax.

Warriors Orochi 2 é um jogo de Playstation 2 e PSP que têm como personagens diversas figuras históricas do Japão antigo, entre elas obviamente a Himiko, que é uma das personagens secretas do jogo.

Depois de toda essa pesquisa ainda fica muitas dúvidas sobre esse fascinante período história e a figura de Himiko, conforme o tempo for passando e novas informações forem aparecendo eu tentarei atualizar ou mesmo fazer um novo post.

Você conhece mais algum personagem com esse nome? Ou tem alguma informação que ficou faltando ou está errada? Comente!

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Himiko
http://en.wikipedia.org/wiki/Yamataikoku
http://en.wikipedia.org/wiki/Wa_%28Japan%29
http://en.wikipedia.org/wiki/Yayoi_period
Newton Graphic Science Magazine “Nihon no ruutsu”
Dykstra, Yoshiko Kurata (2001). Sources of Japanese Tradition: From earliest times through the sixteenth century. Columbia University Press. ISBN 978-0-231-12139-2. Retrieved 2011-06-17.
http://heritageofjapan.wordpress.com/yayoi-era-yields-up-rice/the-advent-of-agriculture-and-the-rice-revolution/who-was-queen-himiko/
http://www.kylesconverter.com/length/paces-to-meters
http://japandailypress.com/researchers-allowed-first-on-site-survey-of-ancient-tomb-in-nara-2123788/
http://www.japansociety.org.uk/2992/kyushu-gateway-to-japan-a-concise-history/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Btooom!
http://koei.wikia.com/wiki/Himiko
http://koei.wikia.com/wiki/Warriors_Orochi_2

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s